BRT e Prefeitura do Rio participam de audiência na Justiça do Trabalho após paralisação

Audiência no Tribunal Regional do Trabalho ocorre um dia após paralisação que causou 62 km de congestionamento.

O consórcio BRT e a Prefeitura do Rio de Janeiro participam na tarde desta terça-feira (2) de uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho, no Centro. O encontro acontece após a paralisação dos serviços do transporte na segunda-feira (1°).

Também participam da audiência o Ministério Público do Trabalho e o Sindicato dos Rodoviários.

Em nota, o BRT disse que a concessionária solicitou o imediato retorno dos motoristas ao trabalho e suspendeu a aplicação de um dos termos aditivos assinados com o Sindicato dos Rodoviários.

O texto dizia que os funcionários poderiam ficar uma semana por mês em casa, uma das reivindicações dos motoristas para a paralisação.

Em entrevista ao Bom Dia Rio nesta terça, o prefeito Eduardo Paes afirmou que estabeleceu o prazo limite de 3 meses para entrar em um acordo que prevê uma mudança contratual com a concessionária que oferece o serviço do BRT. Ele não descarta o rompimento unilateral do contrato.

“Mas nós dialogamos no sentido de que, em 90 dias, a gente vai encaminhar que solução definitiva a gente vai dar, se há alteração contratual a ser feita até, eventualmente, a caducidade da concessão. O que não dá para permitir é que aconteça o que ocorreu ontem, prejudicando o trabalhador e não dá para permitir que o sistema continue funcionando do jeito que está”, disse.

Segunda de paralisação

Depois da paralisação nesta segunda, os serviços do BRT voltaram a funcionar e os ônibus trafegaram normalmente nesta terça nos três corredores.

Ônibus do BRT circulam lotados um dia após paralisação dos motoristas — Foto: Reprodução/ TV Globo
Ônibus do BRT circulam lotados um dia após paralisação dos motoristas — Foto: Reprodução/ TV Globo

O retorno do funcionamento do BRT também marcou a volta de imagens comuns aos usuários do serviço. Os passageiros aglomerados em ônibus lotados.

Desde o início da manhã, já havia fila de passageiros na estação de Santa Cruz, Zona Oeste, como mostrou a reportagem da TV Globo que esteve no local.

Os serviços começaram a ser retomados de forma gradual por volta das 21h de segunda (1º). Ainda assim, os passageiros sofreram na hora da volta para casa.

Da mesma forma como ocorreu pela manhã, eles tiveram que enfrentar ônibus comuns cheios, estações lotadas e vans que cobravam preços abusivos.

Ultimas Notícias

spot_img

Veja

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here