O famoso Airbus A380 na opinião de Fernando Siqueira Carvalho

É, certamente, uma obra prima no que tange à engenharia, salienta o entusiasta acerca da aviação, Fernando Siqueira Carvalho, acerca do Airbus A380. Possuindo dois andares, 72,7 metros de comprimento e com a capacidade de atender mais de 500 passageiros, é considerado o maior avião de passageiros do mundo. Com peso de mais de 500 toneladas na decolagem e mais de 300 toneladas no pouso (redução devido à queima de combustível) é um dos aviões mais pesados que há no mercado.

É uma aeronave quadrimotor, isto é, possui quatro motores. Por ser enorme, os aeroportos tiveram de ser adaptados, por este motivo, não foi amplamente comercializada como os idealizadores imaginavam, tendo vendido apenas mais de 250 unidades, quando, na verdade, o objetivo inicial era de vender mais de 1000 unidades. Contudo, mesmo com o fracasso nas vendas, não o valor não foi diminuído e a importância da aeronave continua sendo enorme, tendo em vista ser a maior comercialmente, fazendo com que assim, os passageiros se surpreendam e almejam embarcar na máquina.

Como dito anteriormente, o peso em relação à quantidade de combustível disponível em uma aeronave influencia e muito o peso dela. O A380 dispõe de uma capacidade de até 320 mil litros de combustível, fazendo com que, assim, o Airbus possa voar mais de 14 mil quilômetros sem a necessidade de conexões ou paradas. É impressionante a magnitude que esse avião pode alcançar, relata Fernando Siqueira Carvalho, exaltando o projeto dinâmico e progressista para alçar voos de longa distância.

Com cerca de 115 exemplares e a espera de mais 5 aviões, a companhia aérea Emirates é, atualmente, a companhia que detém a maior quantidade de aviões A380. Possuindo voos para mais de 50 destinos ao uso da aeronave, o voo mais longo foi de 14.193 quilômetros, partindo de Dubai com destino à Auckland, na Nova Zelândia.

Foram registrados dois incidentes envolvendo o modelo da aeronave, porém, felizmente, nenhum dos dois apresentou vítimas fatais. O primeiro, partindo de Singapura com destino à Sydney, o avião apresentou falha no motor que mais tarde foi descoberto um erro na fabricação. Tendo isto em vista, é importantíssimo a verificação em diversas etapas no avião, salienta Fernando Siqueira Carvalho. Vale ressaltar que, por mais que erros aconteçam, o avião é o meio de transporte mais seguro do mundo.

O segundo incidente foi em 2017, sete anos após o primeiro, saindo de Paris com destino a Los Angeles, precisou fazer uma parada de emergência no aeroporto de Goose Bay, no Canadá, por conta de uma perda em uma parte do motor da aeronave chamada de disco de blades, esta seção foi encontrada só dois anos depois.

Ultimas Notícias

spot_img

Veja

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here